escrevemos o que nos pedir

Biografias, homenagens, livros, mini- histórias de amor, poemas, contos infantis exclusivos e personalizados, contos para adultos, tudo o que sonhar. Também fazemos revisão de textos e trabalhos.

Conheça os serviços que temos para si.

reportagens

Antena 1

RTP1

Terras do Homem

Diário do Minho






arquivos

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

pesquisar
 
subscrever feeds





advertência

O conteúdo deste blogue não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, nem as ideias nele contidas, conforme explícito na lei, incorrendo o prevaricador num ilícito penal grave.

06/05/2011
Biografia
(...) Nos anos cálidos de Pinhel, cidade desde 1770, andavam miúdos e graúdos a crescer, rodeados pela exuberância verde da Serra da Marofa, enquanto o rio Côa e o Massueime cumpriam o seu destino, sem perder de vista o serpentear manso das ribeiras das Cabras e da Pêga, com os quais, de uma maneira ou de outra, acabaria por se fundir. Nos lençóis de água, na chuva, no suor da terra. Os bosques e os pinhais, acotovelavam áreas de amplos horizontes, enquanto debaixo do seu olho de mãe- natureza os meninos se faziam homens e mulheres, numa pobreza feliz Poucos fintariam a interioridade, mas muitos o fizeram. Pinhel é uma âncora, até hoje. Muitos dos irmãos já não a visitam, mas tem lá a alma e os registos impalpáveis da sua história pessoal. Todos têm casa naquela cidade. Maria ficou com a casa dos pais e recuperou-a. Foi uma herança pesada. Por lá ficaram lágrimas e descomposturas, traquinices e dores. "A minha casa, casa nossa, casa minha". A casa que será sempre um museu de afectos.

 Enquanto o pai trabalhava de sol a sol, massacrado pelo seu reumatismo articular, aguentando os extremos do calor e do frio, como só a Beira consegue providenciar, os filhos aprendiam a amar a terra, sobretudo os homens, que continuam a encontrar nela um refúgio, a enxertar e a podar, a regar ou a cultivar qualquer coisa. João e José encontram-se muitas vezes nestas condições, décadas depois. E cumprem um ritual antigo de preparar as videiras ou aliviar as árvores e as plantas, para que possam crescer renascendo. Enquanto isso, conversam. São irmãos em presença. Podam a irmandade para que continue forte (...).




*Biografia em curso. Gostávamos de lhe mostrar mais, mas não podemos. Estamos sempre a dizer que é uma honra e a agradecer pelo facto de nos confiarem percursos tão bonitos. Porque é a mais tranquila das verdades.
**Os nomes foram alterados. 


publicado por projectcyrano às 12:45
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

A marca Projecto Cyrano está registada no INPI desde Dezembro de 2010.
os nossos livros

O Casamento do Drgão

Um conto medieval para dois irmãos


Amor em Africa

Um amor para sempre


João e Benjamim

Conto para um avô


Blog em livro

Mais um blog


Para ti, João Pedro

Prenda para um filho


Um sonho para mim

Vida e amor


Povo pequenino

Outro conto infantil


O primeiro conto

O primeiro conto escrito pelo Projecto Cyrano


Um blog de amor

Blog em livro


Em nome do amor

Trinta páginas mais dez de fotos