escrevemos o que nos pedir

Biografias, homenagens, livros, mini- histórias de amor, poemas, contos infantis exclusivos e personalizados, contos para adultos, tudo o que sonhar. Também fazemos revisão de textos e trabalhos.

Conheça os serviços que temos para si.

reportagens

Antena 1

RTP1

Terras do Homem

Diário do Minho






arquivos

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

pesquisar
 
subscrever feeds





advertência

O conteúdo deste blogue não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, nem as ideias nele contidas, conforme explícito na lei, incorrendo o prevaricador num ilícito penal grave.

03/03/2011
Todos somos




relativamente bons a dar conselhos, mas poucos os seguimos em causa própria. Mas há alguns que saem como uma lufada directa do coração. Sabe o que achamos? Toda a gente tem o direito a sentir-se infeliz, mesmo tendo muito a agradecer. Mesmo somando pontos em relação a outras vidas mais sofridas. Você tem o direito a sentir-se miserável, desde que não passe a ser um. Nunca deixe de se trabalhar. A sua mente é como barro fresco, pronta a ser moldada. Quando não souber por onde começar, ponha o pé na roda de oleiro e dê o primeiro impulso. Pode começar pelos seus maus hábitos. Pela raiva que dirige a quem não merece. Pelas apitadelas que dá a outros condutores, pelos berros que dá aos seus filhos e a indisponibilidade mental para ser feliz com eles. Pelos gestos que não oferece, os sorrisos que não devolve, pelas ironias que atira ao vento como notas que ninguém quer apanhar. Assuma a sua infelicidade e extermine-a de uma vez por todas. Não sei se já alguém lhe disse, mas vida há uma só e ninguém lhe garante que seja longa. Desculpe este somatório de frases feitas (ou reinventadas) mas alguém tem de lhe abrir os olhos. É que o mal de uns acaba sempre por tornar-se o mal de outros.  Pois.


publicado por projectcyrano às 14:29
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

A marca Projecto Cyrano está registada no INPI desde Dezembro de 2010.
os nossos livros

O Casamento do Drgão

Um conto medieval para dois irmãos


Amor em Africa

Um amor para sempre


João e Benjamim

Conto para um avô


Blog em livro

Mais um blog


Para ti, João Pedro

Prenda para um filho


Um sonho para mim

Vida e amor


Povo pequenino

Outro conto infantil


O primeiro conto

O primeiro conto escrito pelo Projecto Cyrano


Um blog de amor

Blog em livro


Em nome do amor

Trinta páginas mais dez de fotos