escrevemos o que nos pedir

Biografias, homenagens, livros, mini- histórias de amor, poemas, contos infantis exclusivos e personalizados, contos para adultos, tudo o que sonhar. Também fazemos revisão de textos e trabalhos.

Conheça os serviços que temos para si.

reportagens

Antena 1

RTP1

Terras do Homem

Diário do Minho






arquivos

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

pesquisar
 
subscrever feeds





advertência

O conteúdo deste blogue não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, nem as ideias nele contidas, conforme explícito na lei, incorrendo o prevaricador num ilícito penal grave.

06/04/2011
As opiniões dos outros
contam e muito. Sejam sobre assuntos importantes como nas coisas banais do quotidiano. Podem doer, desiludir ou impelir alguém em diversos sentidos. Podem ser a gota de água para um "vou lutar", para um "vou melhorar", para um "vou continuar", como para um "vou desistir", um "não valho nada" ou um "ninguém tem apreço por mim". Dos humores de cada um, cada um sabe, mas ninguém lucra nada se tornar pior o dia de outra pessoa. Há, curiosamente, muita gente a fazê-lo por sistema. Ignorando um pedido, virando costas a um gesto, evitando palavras de cortesia, incentivos, sorrisos. Implicando, contrariando, menorizando. Há todo um catálogo à escolha. Há também quem enfie a adaga nos rins dos outros, por omissão. Há os confrontos directos e as ironias malévolas, as mais desconfortáveis de toda a porcaria desnecessária da tabela interpessoal. Não precisamos de ser psicólogos ou conselheiros sentimentais para perceber que, com isto não se lucra nada, a não ser um qualquer gosto obscuro de ver a humilhação estampada nos olhos dos outros, fracos ou fortes. Quer  estes façam por nos ignorar ou não. Seja como for, independentemente de como as nossas vítimas encarem a nossa azia, os nossos reparos e as críticas ácidas sobre coisa nenhuma, é lixo comunicativo. Lixo social. E este tipo de detritos valem zero, assim como as pessoas que, pelas mais diversas razões, têm necessidade de desconstruir os outros. De lhes pesar sobre os ombros.


Posto isto, respiremos fundo antes de sermos parvos.


publicado por projectcyrano às 11:15
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

A marca Projecto Cyrano está registada no INPI desde Dezembro de 2010.
os nossos livros

O Casamento do Drgão

Um conto medieval para dois irmãos


Amor em Africa

Um amor para sempre


João e Benjamim

Conto para um avô


Blog em livro

Mais um blog


Para ti, João Pedro

Prenda para um filho


Um sonho para mim

Vida e amor


Povo pequenino

Outro conto infantil


O primeiro conto

O primeiro conto escrito pelo Projecto Cyrano


Um blog de amor

Blog em livro


Em nome do amor

Trinta páginas mais dez de fotos