escrevemos o que nos pedir

Biografias, homenagens, livros, mini- histórias de amor, poemas, contos infantis exclusivos e personalizados, contos para adultos, tudo o que sonhar. Também fazemos revisão de textos e trabalhos.

Conheça os serviços que temos para si.

reportagens

Antena 1

RTP1

Terras do Homem

Diário do Minho






arquivos

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

pesquisar
 
subscrever feeds





advertência

O conteúdo deste blogue não pode ser reproduzido, total ou parcialmente, nem as ideias nele contidas, conforme explícito na lei, incorrendo o prevaricador num ilícito penal grave.

03/12/2010
Outros projectos

(...)"O telefone tocou. Pareceu-lhe ter tocado. Palpou-o entre a névoa em cima do sofá cheio de lixo, aquele sofá que estava sempre limpo imaculado e agora desaparecia debaixo de baba humana e nódoas de bebida. Não atendeu o telefone, o número era-lhe vagamente familiar, terminava em 65 como o que, desde há uns tempos, lhe ligava insistentemente todos os dias, a várias horas. Despertou às 6h00 e ficou imóvel a olhar o tecto, à espera do preciso segundo em que a memória lhe reavivasse a angústia. O gelo que se pousaria no peito, como um peso de toneladas, era a única coisa que os seus sentidos lhe permitiam para se assegurar que ainda estava vivo. Estaria? Nas poucas horas em que lhe era possível apagar a mente, em sonhos realistas em que se julgava ainda como antes, conseguia um pouco de paz ilusória, tão breve que duraria apenas o suficiente até as frinchas da persiana deixarem entrar os primeiros sinais de luz. Tinha a boca seca como papel de celofane, não conseguia discernir que parte do corpo lhe doía, nem que membro havia de mover primeiro antes de chegar a torrente de lágrimas que o afogava vivo em cima dos lençóis sujos de outras lágrimas (...).


publicado por projectcyrano às 14:55
link do post | comentar | adicionar aos favoritos

A marca Projecto Cyrano está registada no INPI desde Dezembro de 2010.
os nossos livros

O Casamento do Drgão

Um conto medieval para dois irmãos


Amor em Africa

Um amor para sempre


João e Benjamim

Conto para um avô


Blog em livro

Mais um blog


Para ti, João Pedro

Prenda para um filho


Um sonho para mim

Vida e amor


Povo pequenino

Outro conto infantil


O primeiro conto

O primeiro conto escrito pelo Projecto Cyrano


Um blog de amor

Blog em livro


Em nome do amor

Trinta páginas mais dez de fotos